Que bom que você veio!

A internet é um lugar incrível. Meio praia, porque reúne todas as tribos, meio coração de mãe, porque "sempre cabe mais um" - mesmo que você não use aquele desodorante da antiga propaganda... E-mail cá, e-maile-eu aqui. Utilizando um meio de comunicação que atinja todas as pessoas... Que quiserem serem atingidas! Acertei?

sábado, 17 de março de 2018

Virando a página

Lentamente você vai saindo.

Você que bradou nas redes estar com a vida a pulsar enquanto o Hawking morria.

Isso foi chocante. Arrogante. E, desculpa, parece mentira.

Tomara que não seja, mas vida não era uma coisa que te preenchia.

Era a morte que lhe rondava, impressionava, assombrava. Acompanhava. Você que disse.

Por aqui a velocidade é quase nenhuma.

O tempo ainda não tem sido fácil.

Todas as dores misturadas.

Mas não chorar por ti é vitória.

Não stalkear é vitória.

Parar de querer te esperar é vitória.

Tirar você do pensamento é vitória que pensei jamais alcançar.

Não é pra te esquecer.

É pra ser indiferente

segunda-feira, 5 de março de 2018

Mais que memória

Fico pensando.

Fico pensando em looping.

Fico pensando nos ditos.

E nos inventados.

Fico pensando no tempo perdido.

Na música de velho.

No fel.

E que ninguém vai pro céu.

Fico pensando na cara de ódio.

Na cara de tacho.

Na cara-de-pau.

No pau na foto.

Nas seis horas de conversa virtual.

Nos áudios dos sambas.

Nos segredos partilhados.

Nas brigas estúpidas.

Nos dedos que conferem, surpresos, o que já está encharcado.

No convite ao gosto do café, expresso no beijo.

No casal insólito no motel na República.

No frio por estar fora do chuveiro.

No suor. No suor. No suor.

Na excitação não sustentada, mas sempre recuperada.

Nos olhos que enxergam sorriso no escuro do quarto, deitados na cama.

Fico pensando no ódio de novo, o ir embora sem palavra, de cabeça baixa.

Fico pensando na súplica negada.

No desespero.

No querer morrer.

Na passarela e na bendita oportunidade perdida.

Fico pensando nas gargalhadas, nos vacilos, nos aprendizados, na mágoa, na dor, na solidão, na ausência, no silêncio.

No medo, no terror, no pavor.

Do abandono, da loucura, da sua morte, da violência, da humilhação.

Fico pensando sem aguentar mais.

Sem entender nada.

Sem me arrepender.

sexta-feira, 2 de março de 2018

Narciso e a água

Era toda água.

De enchente.

Transparente.

Fresca.

Potável.

Era toda água.

Banhava.

Produzia.

Narciso chegou.

Experimentou.

Saiu.

Voltou.

Saiu

Voltou.

Narciso se viu.

Oh, como era lindo!

Toda essa água só pra refletir Narciso.

Mas Narciso, água é força da natureza, não é espelho.

Toda força respeitada vive.

Do contrário, invade e...




Bati!

Elástico não se puxa até o fim.

Rompido, machuca todo mundo.

Há coisas com que não se brincam.

Corações, por exemplo.

Pra todo narciso tem uma água pra afundar.

sábado, 24 de fevereiro de 2018

só é loucura

Não é pra engolir

Não é pra assustar.

Não é pra fazer mal.

Ir embora pra mostrar que pode voltar.

E ficar.

domingo, 22 de outubro de 2017

Piscar de olhos

É leve e lindo esse instante de deixar-se levar por uma ideia.

E breve.

Semente

Você gosta do feijão embaixo.

Eu ponho o arroz primeiro.

Você é do dia, eu sou da noite.

Mas ficaríamos bem na madrugada.

Você fuma. A gente bebe.

Você é marxista. Eu tento ser anarquista.

Você ainda está no começo. Eu já estou na metade.

Você passa roupa. Eu não tenho mais tempo.

Meu fora é subjetivo. O seu é berço.

Você não entende sutilezas. Eu não as explicarei.

Você gargalha gostoso.

Eu sorrio só de lembrar.

Pedro falou, tá falado!

E ele diz do alto de seus oito anos:

- Mãe, tirando gente, qual a coisa que vc mais gosta? Igual a armário, flor, montanha?

- Pode ser música? - Ela responde perguntando.

- Pode.

- E vc? (Mãe de curioso, curiosa é...)

- Eu gosto de morcego. E de Tecnologia.



- Sexta é dia de brinquedo! - Comunica o atarefado virginiano para sua avó.

- Tem certeza?

- Tenho sim, a professora falou.

- Vc já está na terceira série... Até quando vc vai levar brinquedo?

- Acho que vou levar brinquedo até a faculdade.

E eu desejo que vc queira brincar por toda a vida...

- Mãe, vi um homem tão feio na rua! Ele tava inteiro tatuado nas costas, nas pernas, nos braços e nos dedos das mãos. Fiquei com vontade de cantar pra ele:

"Quando Deus te desenhou, ele tava sem borracha, sem apontador e com o lápis sem ponta..."




Mãe, posso ver o DVD que vc me deu na Páscoa?
Pode. Mas não foi o Coelho que te deu?

- Não. O coelho de Páscoa só dá ovo. Presente dá vc e o Papai Noel no Natal...



E ele lê o recado da agenda pra mãe, muito solícito:

"Trazer para a próxima aula uma foto 3 vezes 4,

recente"...

Ensinado a tocar flauta doce: "Você tem que prestar atenção e colocar os dedos nos edifícios certos..."

Perguntas "básicas": De onde sai a teia da aranha, da laringe? Qual a coisa mais saudável do mundo?



O que realmente importa: (depois de ter retirado o aparelho ortodôntico fixo) "agora sim vc vai poder apertar minha bochecha e eu vou poder comer chiclete!"



Explicando porque não queria brincar com a garotinha: "tenho vergonha de brincar com meninas do sexo oposto"



Mãe, vc é de que signo? Peixes ou Camarões?

Por que os malucos gostam de arte?



- Mãe, por que o Presidente da República é rico?

- Ah, sei lá... Porque ele ganha muito dinheiro...

- E por que ele ganha muito dinheiro se ele não faz nada?

Comentário sobre a matéria do Fantástico, a respeito do sumiço do Belchior: "mãe, olha o Gopal!"



De que adianta lactobacilos vivos, se quando a gente agita o yacult eles morrem todos?



Mãe, explica EXATAMENTE o que é fé.